DEMARCAÇÕES E VACINA

OS ÍNDIOS VOLTARAM?!

Muitos piauienses se autodeclaram indígenas para terem acesso à terra e vacina

08/06/2021 05h23Atualizado há 2 meses
Por: Redação
166
Presidente da Câmara de Vereadores de Uruçuí, Nezio: de repente, virou índio (Foto/Divulgação)
Presidente da Câmara de Vereadores de Uruçuí, Nezio: de repente, virou índio (Foto/Divulgação)

Os índios voltaram. Numa cidade piauiense, localizada no sul do estado, chama atenção a grande quantidade de pessoas que está se declarando como indígena. Isso ajuda muito numa série de coisas.

A primeira delas, emergencial, é na questão das vacinas. Os índios contam com prioridade, de acordo com residentes locais.

A outra questão está relacionada com a possibilidade de acessarem a posse de áreas privilegiadas dentro daquele município.

Vamos aos fatos. Um grande número de habitantes da cidade de Uruçuí está se definindo como indígena.

_VEREADOR INDÍGENA

O presidente da Câmara de Vereadores se declarou recentemente pertencente ao grupo. Ele disse que seus familiares pertencem ao lugar Sangue, e que a denominação do local diz respeito ao massacre dos índios, antigamente.

Os novos indígenas estariam recebendo apoio do Interpi (Instituto de Terras do Piauí) e da Procuradoria Geral da República, conforme denunciantes, que preferem manter-se anônimos. O problema está relacionado com possíveis retaliações.

Manoel Pereira Borges, conhecido como Nezio, presidente do legislativo municipal, disse que é indígena. Ele afirma que descende de uma senhora que, por sua vez, tem descendência direta dos antigos moradores da localidade Sangue.

_O MASSACRE DO SANGUE

Ali, em 1767, teria ocorrido um massacre da população indígena. E que somente uma criança teria sobrevivido. "Somos descendentes dessa criança. Nossa família tem ligação direta com essa história", disse o presidente, questionado pela imprensa local.

Moradores do município dizem desconhecer a ligação indígena de Nezio. Dizem ainda, os mais antigos, que não têm nenhum conhecimento da existência de índios em Uruçuí.

Muito menos de seus descendentes. E que a história pode estar mais ligada à chegada de 80 doses de vacinas a serem aplicadas diretamente em indígenas. Daí que muitos teriam, de repente, assumido essa condição.

_ANTROPOLOGIA OPORTUNISTA

Alguns anos atrás, a revista Veja publicou matéria intitulada “A farra da antropologia oportunista”, onde afirma que a criação de novas áreas de reserva é fruto do conchavo entre ativistas que sobreviveriam dos sucessos das demarcações, agentes públicos e antropólogos cujo trabalho não teria nenhum rigor científico, com viés ideológico de esquerda.

O caso foi parar na Justiça por ação do Ministério Público Federal. Mas a juíza federal Sílvia Figueiredo Marques, 26ª Vara Cível de São Paulo, rejeitou a ação.

A magistrada acolheu a argumentação da publicação de que “a matéria é verdadeira, com fontes identificáveis, de interesse público e com texto absolutamente pertinente, sem declarar nenhum preconceito a qualquer grupo étnico.”

_AUTODECLARAÇÃO É SUFICIENTE

O vereador presidente da Câmara Municipal de Uruçuí não possui traços indígenas. Mesmo assim se declara índio. Alguns antropólos entendem que não precisa haver traços. Basta a autodeclaração junto a órgãos como IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

No Piauí, os índios foram massacrados ou expulsos completamente no final do século XVIII. No começo do século XIX já não havia tribos indígenas residindo em território piauiense.

Em 1822, por ocasião das lutas pela independências, fazendeiros locais foram até a Serra Grande e conseguiram recrutar cerca de 600 índios, sobretudo tremembés, para atuar na causa separatista brasileira, e piauiense.

_PROMESSA NÃO CUMPRIDA

A eles foi prometido que receberiam de volta terras que foram tomadas de seus ancestrais. Eles decidiram voltar e terminaram sendo ludibriados pelos políticos da época. Não receberam nem terras nem soldos. Embora tenham sido decisivos na batalha contra os portugueses.

Segundo o Interpi, “além dos Kariri em Queimada Nova, Gamelas em Santa Filomena e Tabajaras em Piripiri, há também Tabajaras, ainda vivendo de forma tradicional, em agrovilas, no município de Lagoa de São Francisco (a 193 km de Teresina).” 

_OS ÍNDIOS PIAUIENSES

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2010, o Piauí possui 2.944 pessoas que se autodeclaram indígenas; desses, 1.333 só em Teresina.

No ano passado, o presidente do Interpi e ativista político de esquerda Chico Lucas, anunciou que a partir de agora seria possível fazer ao Piauí a primeira demarcação de teritórios indígenas.

Segundo ele, “isso só foi possível depois da aprovação da Lei de Regularização Fundiária (nº 7.294) ainda ano passado e a lei que facilita o reconhecimento de situações diversas dos povos originários, que é a Lei nº 7.389.” (Toni Rodrigues)

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias