CEV

Empresa de Rafael Fonteles tem dívida de R$ 28,3 milhões junto ao governo federal

Colégio pertence a Fonteles; ele está licenciado por ser secretário

30/12/2021 09h29
Por: Redação
718
Mais de R$ 28 milhões em dívidas junto ao governo federal
Mais de R$ 28 milhões em dívidas junto ao governo federal

 

O Colégio CEV, pertencente ao secretário de Fazenda do Piauí, Rafael Tajra Fonteles, pré-candidato a governador pelo PT, possui dívida de aproximadamente R$ 1,175 milhão ao sistema tributário nacional. São ao todo 11 débitos que constam junto à Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional.

A empresa do secretário deve ainda cerca de R$ 27,189 milhões ao Ministério da Previdência. São, ao todo, 39 débitos. Os valores agora podem ser consultados por qualquer cidadão através de um aplicativo disponibilizado pela Receita Federal, o chamado “Dívida Aberta”.

Segundo informe da Receita, o Dívida Aberta é um aplicativo da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) que apresenta os devedores inscritos em dívida ativa da União ou do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) em situação irregular. Veja mais aqui.

A dívida total da empresa pertencente ao secretário é de R$ 28,364 somando-se os valores de débitos tributários e previdenciários. Conforme noticiamos em oportunidade anterior, todos imaginávamos que se tratava de uma empresa enxuta e sem qualquer tipo de endividamento, mas isso não é verdade.

O proprietário nos foi apresentado como um gênio da matemática que iria resolver os problemas financeiros do estado do Piauí. No entanto, sua política é apenas de endividamento através da obtenção ilimitada de empréstimos, inclusive com falseamento da situação econômico-financeira do estado para ludibriar autoridades nacionais.

Sua gestão como secretário não difere em nada da atuação na área empresarial. Em fins de 2018, o Ministério da Economia informou, em documento, que o governo do Estado do Piauí estaria impedido de contratar empréstimos e convénios por tempo indeterminado. Ao apresentar informações solicitadas, o Executivo estadual falsificou documentos contábeis para conseguir novos empréstimos. O endividamento atual é superior a R$ 7,3 bilhões. E a política de empréstimos segue adiante.

O Grupo Empresarial CEV está sendo gerenciado atualmente por Bruno Agrélio Ribeiro, Bruno Lopes Oliveira (sócio-administrador) e TF3 Participações S/A. Rafael Fonteles adotou a providência de repassar temporariamente o controle da empresa para pessoas de sua confiança. (Toni Rodrigues)

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias